Seg a sex das 08h00 às 12h00 e das 13h00 às 17h00

Destaque

MICROBIOLOGIA: conheça a habilitação que explora o mundo dos microrganismos

08-08-19 | Destaque, Geral, Notícias

Microbiologia3Uma das 30 habilitações da biomedicina, a microbiologia se dedica ao estudo dos microrganismos. Ou seja, quem optar por esta área irá explorar o vasto mundo das bactérias, vírus, fungos, protozoários e helmintos, investigando desde a fisiologia e o metabolismo destes minúsculos seres vivos até as suas interações com o meio ambiente e outros seres.

A vertente mais conhecida da microbiologia é a do estudo de doenças infecciosas. A pesquisa das causas, do comportamento e das formas de controle e prevenção destas patologias permitiu muitos avanços no campo da saúde e no bem-estar humano, como o desenvolvimento de medicamentos e vacinas.

Mas a importância da microbiologia não se restringe a esta área. Ela também está por trás, por exemplo, do conhecimento dos processos de conservação e fermentação de alimentos, fundamentais para a indústria alimentícia. Um campo novo e em desenvolvimento é a microbiologia forense que estuda os microrganismos envolvidos no processo de decomposição de cadáveres, o diagnóstico de doenças infecciosas e parasitárias em tecidos mumificados e a identificação e prevenção de ataques biológicos.

O profissional habilitado em microbiologia pode trabalhar em diferentes locais como hospitais, indústrias de alimentos, laboratórios de análises clínicas, entre outros.

A conselheira do CRBM-5 Flávia Brust, habilitada em análises clínicas e com atuação em microbiologia clínica, conta um pouco da sua experiência profissional na área e nos dá alguns detalhes sobre o campo da microbiologia:

– Quais características o profissional deve ter para trabalhar em microbiologia?

Flávia Brust: Independente da área que atuar é imprescindível que o profissional goste do que faz. O biomédico que atua em análises clínicas precisa gostar de rotina. Diferente de outros setores do laboratório clínico, a microbiologia ainda é bastante manual e exige paciência, pois os microrganismos necessitam tempo e condições especiais para crescerem e serem avaliados. Acho que o microbiologista deve ser curioso, gostar de estudar.

– Como está o mercado de trabalho para o biomédico nesta área?

FB: O biomédico tem conquistado cada vez mais espaço na patologia clínica (análises clínicas) que inclui a microbiologia. Acredito que este campo de atuação profissional continue em expansão para o biomédico. Além disso, em virtude do aumento da resistência dos microrganismos aos tratamentos atualmente disponíveis, linhas de pesquisa que buscam novas terapias de combate a estes patógenos vêm ganhando destaque. Por fim, a microbiologia forense parece ser uma área de atuação promissora para o Biomédico.

– Por que o interesse por microbiologia? O que te atraiu para esta área?

FB: Meu interesse na microbiologia surgiu quando comecei a atuar como biomédica. Após concluir a graduação, participei de um processo seletivo em um laboratório de análises clínicas e fui selecionada para trabalhar neste setor. Desde então, sou apaixonada por esta área! Trabalhei oito anos com microbiologia clínica e fiz mestrado, doutorado e pós-doutorado com assuntos relacionadas à bacteriologia. Acho fascinante aprender como ocorre a interação entre microrganismos e o ser humano.

– Dos trabalhos que você realizou, quais destacaria?

FB: Na pesquisa sempre trabalhei com bactérias multirresistentes. Principalmente, na investigação de mecanismos de virulência das bactérias e na busca de novas moléculas (naturais e sintéticas) com atividade antimicrobiana. Durante o doutorado, tive a oportunidade de ir para Berlim fazer um treinamento em um laboratório de pesquisa em biofilmes bacterianos da Universidade Humboldt. Além disso, fiz doutorado sanduíche no Statens Serum Institut, em Copenhagen, onde trabalhei com mecanismos de virulência de bactérias.

– Quais as principais contribuições da microbiologia para a ciência e para a sociedade?

FB: A descoberta dos antimicrobianos revolucionou a história da medicina. Menos de um século depois da descoberta da penicilina, a resistência bacteriana aos antimicrobianos representa um desafio à saúde pública mundial. O surgimento de bactérias resistentes a todos os medicamentos tornou evidente a necessidade de novas e eficientes terapias para o tratamento de microrganismos multirresistentes. Outra contribuição importante da microbiologia à ciência é o desenvolvimento de vacinas capazes de erradicar várias doenças infecciosas que antes eram fatais aos homens e animais.

Imprensa CRBM-5

 

Compartilhe nas Redes