Seg a sex das 08h00 às 12h00 e das 13h00 às 17h00

Destaque

Hematologia: decodificando o sangue

08-01-20 | Destaque, Notícias

Se os olhos são o espelho da alma, o sangue é o espelho do corpo humano. As células do sangue (hemácias, leucócitos e plaquetas), avaliados no hemograma, são os principais indicadores de saúde de um organismo.

A hematologia dedica-se justamente a decodificar estes componentes, analisando suas morfologia e fisiologia em busca de alterações que possam sinalizar doenças ou problemas de saúde. Por isso, a hematologia estuda também os  tecidos formadores de sangue, em especial a medula óssea. Resultados anormais podem indicar a presença de uma variedade de condições, incluindo as anemias, leucemias e infecções – muitas vezes, antes mesmo que o paciente apresente os sintomas da doença. Por isso, o hemograma é considerado um dos exames com maior importância para avaliação da saúde geral.

Um dos campos de atuação para o profissional desta área é a análise laboratorial. Nela, o profissional avalia as alterações na quantidade e na estrutura das células do sangue. Outra possibilidade são os bancos de sangue, nos quais atua no processamento e tratamento do sangue, aferindo a compatibilidade entre doadores e receptores e auxiliando na transfusão sanguínea.

Eloir Lourenço, conselheiro do CRBM-5, revela como o biomédico habilitado em hematologia pode contribuir no diagnóstico e no estudo de doenças relacionadas ao sangue, além do perfil do profissional para atuar nesta área.

– Quais são as possibilidades de atuação para o biomédico habilitado em hematologia?

Eloir Lourenço – O mercado de análises clínicas cresce cada dia mais, visto que mais da metade dos diagnósticos são baseados nos exames de sangue. O biomédico habilitado em análises clínicas já pode atuar no setor de hematologia e banco de sangue, setores esses que exigem do profissional muita atenção na hora da liberação dos laudos. O hemograma completo é um exame de sangue para avaliar a saúde do paciente de maneira geral e identificar possíveis desordens, como anemia, infecções e leucemia.

– É uma área forte também no campo pesquisas? Quais linhas se pode seguir e quais contribuições estudos nesta área podem dar à saúde?

EL – Dentro da hematologia, existem muitas áreas de pesquisa que o profissional biomédico pode trabalhar. Podemos citar as hemoglobinopatias, que são as anemias hereditárias, e as leucemias, que são doenças malignas originadas na medula óssea, onde as células do sangue são produzidas. Infelizmente os casos de leucemia estão aumentando na população, demonstrando a importância de pesquisa nessa área. O próprio transplante de medula óssea é outra área que ainda tem muito a ser descoberto assim como linfomas, distúrbios de coagulação e alterações plaquetárias.

– Como está o mercado para os biomédicos nesta área?

EL- Crescente visto que cada vez mais os médicos solicitam exames sanguíneos para diagnosticar as doenças. Diante disso, recomenda-se fazer uma especialização na área de hematologia para se obter mais segurança e conhecimento neste setor, além de ser um diferencial para o profissional na hora da contratação.

– Quais características e habilidades o profissional deve ter para trabalhar nesta área?

EL – Gostar de microscopia é fundamental, já que precisamos olhar as lâminas dos pacientes com alterações no hemograma. Atualmente, as automações nessa área nos auxiliam bastante, facilitando a nossa rotina diária. Quando se tem alterações no exame, é o microscópio que auxiliará o profissional a identificar as alterações e nesse momento é fundamental ter conhecimento e habilidade para liberação do laudo.

– O que te atraiu na hematologia? O que acha de mais interessante na área?

EL – Sempre gostei da hematologia pela importância que o hemograma tem diante de diagnósticos, prognósticos e acompanhamento de diversas patologias. Sempre trabalhei em ambiente hospitalar e poder auxiliar o médico com o resultado do nosso exame, sempre pensando no melhor ao nosso paciente, é muito gratificante.

Confira outras habilitações:

Imprensa CRBM-5

Compartilhe nas Redes