Biomédica é destaque em reportagem sobre mulheres na ciência

Foto: Tomás Arthuzzi/Revista Galileu

Foto: Tomás Arthuzzi/Revista Galileu

Uma biomédica paranaense é um dos destaques da campanha Lugar de Mulher é na Ciência, lançada pela revista Galileu. Capa da edição de março, Sabrina Lisboa é considerada um exemplo da nova geração de cientistas. A biomédica comandou uma pesquisa para entender os sintomas e buscar tratamentos alternativos para o transtorno de estresse pós-traumático. Pelo estudo, Sabrina, que é cientista na Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP), recebeu o prêmio Para Mulheres na Ciência no ano passado.

Sabrina faz parte de uma minoria: segundo a Unesco, dos cientistas do mundo, apenas 28% são mulheres. As dificuldades encontradas pelas mulheres para entrar e se manter na carreira científica são abordadas na reportagem de Galileu, que conta ainda a vida de dez grandes cientistas de gerações passadas que servem de inspiração para uma maior participação das mulheres na ciência.

Imprensa CRBM-5 / Laura D’Angelo