Segunda a sexta das 08h00 às 12h00

Destaque

Biomédicos da Feevale são homenageados pelo CFBM e CRBM-5

04-06-21 | Destaque, Notícias

Os biomédicos que atuam na Universidade Feevale receberam nesta segunda-feira, 31, uma homenagem do Conselho Regional de Biomedicina da 5ª região (CRBM-5) e do Conselho Federal de Biomedicina. O ato de reconhecimento foi pelo trabalho prestado por esses profissionais no combate à pandemia da Covid-19.

Estavam presentes na entrega do troféu o presidente do CRBM-5, Renato Minozzo, a conselheira do Conselho Federal de Biomedicina, Simone Rossetto, o diretor do Instituto de Ciências da Saúde da Feevale, Cesar Augusto Teixeira, e a coordenadora do curso de Biomedicina, Bárbara Spaniol. Foram homenageadas as biomédicas Alana Witt Hansen, Francini Pereira da Silva e Larissa Mallmann, e a estudante de Biomedicina Pietra Fink, que atuam no Laboratório de Microbiologia Molecular, e a biomédica Mayara Bernardes, que atua no Laboratório de Análises Clínicas e Toxicológicas.

O Laboratório de Microbiologia Molecular da Universidade Feevale realizou até esta segunda-feira, 31, um total de 50.564 exames de diagnóstico da Covid-19. Desses, 38.781 foram para prefeituras e 11.783 para empresas e pessoas físicas. O serviço é prestado à comunidade desde 29 de março do ano passado, quando foram analisadas as primeiras amostras. Hoje, a Feevale faz os testes para 41 municípios conveniados, em sua maioria dos vales do Sinos e do Caí, para 478 empresas do Estado e, ainda, para moradores da região.

Renato Minozzo entrega troféu à biomédica Alana Witt Hansen

Segundo Minozzo, a Biomedicina está tendo muito destaque na pandemia da Covid-19. “Hoje, aqui no Rio Grande do Sul, mas de 80% dos exames PCR-RT foram feitos por biomédicos. Nós, do CRBM-5, queremos lembrar e repassar a esses profissionais que sabemos tudo que eles fazem e da importância do trabalho desenvolvido por eles. Quando todos tiveram que ficar em isolamento social, o biomédico não teve essa opção, ele expôs a sua vida e a vida da sua família. O risco é grande e esses profissionais, às vezes, são pouco lembrados. A sociedade é muito grata por todo trabalho dos biomédicos nesse combate”, ressalta o presidente.

O diretor do Instituto de Ciências da Saúde destaca o impacto positivo que o trabalho realizado pelos profissionais teve para os municípios atendidos pela Instituição. “Quando pensamos na reestruturação do serviço, a ideia era justamente poder fornecer subsídios necessários para a saúde pública da região. Meu agradecimento e reconhecimento aos biomédicos e a todos que conduzem o curso de Biomedicina da Universidade Feevale”, afirma Cesar.

Texto e fotos: Fernanda Carvalho/Universidade Feevale

Compartilhe nas Redes

Skip to content